Cantora de MT Bruna Viola tem Melodias do Sertão indicado ao Grammy Latino

Publicado em 29 de setembro de 2017 às 11h:58

A cantora, instrumentista e compositora cuiabana Bruna Viola teve seu álbum, Melodias do Sertão, indicado ao maior prêmio da música mundial, o Grammy Latino. A notícia foi dada pela própria Bruna em sua fan page no Facebook.

“Ô semaninha maravilhosaaaaa. Só notícia boa, graaaaaças a Deus (…). Muito obrigada Deus e Nossa Senhora, não poderia estar mais feliz”, escreveu em um post.

Bruna tem uma longa e respeitada carreira dentro da música caipira e já tem até mesmo reconhecimento nacional, pois já participou de diversos programas de redes de televisão brasileiras, o maior deles o Altas Horas, apresentado pelo paulistano Sérgio Groismann, nas noites de sábado da Rede Globo.

Este é o mais recente trabalho lançado por Bruna Viola e deve torná-la ainda mais conhecida tanto no Brasil quanto no exterior, pois o Grammy Latino, como o nome já diz, é a versão que premia artistas da música na América Latina e é aferido pela mesma companhia que distribui o norte-americano, o Grammy Awards. Ambos foram criados pela National Academy of Recording Arts and Sciences.

Por meio dos esforços de uma carreira bem direcionada, a cuiabana vem ganhando respeito nacional e agora deve fazer o mesmo fora do país. Sua música sertaneja tem pegada de raiz e ela é mesmo egressa da lida no campo, nasceu e cresceu em meio ao gado e às fazendas. Também nesse meio aprendeu a tocar viola e a cantar.

Seu primeiro disco, Flor Mato-Grossense é também a alcunha artística utilizada por ela, que começou a tocar ainda bem pequena, aos dez anos de idade. Nesse tempo, começou pelo violão, como se dedicava e os pais viram que ela se dedicava, um ano depois já começou a também tocar viola. Sempre de maneira autodidata.

A animação de sua música é genuína e vem de casa, pois a família inteira é, como ela mesma canta “caipira assumida, sem vergonha de ser do campo”. O bisavô é fazendeiro e era na fazenda que ela buscava inspiração, junto dos avós.

Por essa época, conheceu as canções de Tião Carreiro e Pardinho. “Meu maior ídolo é o Tião. Depois veio Tião Carreiro e Pardinho. E os mais atuais, Chitãozinho e Xororó”, conta. Ela é contratada da Universal Music, uma gravadora multinacional. Não chegou lá, entretanto, da noite par ao dia, pois tem uma carreira iniciada em 2011, quando lançou o CD Resgatando Raízes, totalmente dedicado às modas de viola. No ano seguinte, gravou e lançou Só Pra Ficar na Moda, já com algumas concessões ao sertanejo universitário, mas sem perder a pegada dos chamados modões interioranos.

Passou a gravar com grandes nomes como Bruno & Barreto (cujo videoclipe Quem É Que Não Gosta? Já ultrapassou as seis milhões de visualizações) e César Menotti & Fabiano (duas milhões de visualizações para Se Você Voltar). O contrato com a Universal foi assinado em fevereiro de 2015.

Além do Altas Horas, Bruna Viola foi entrevista também pelo falecido Programa do Jô, pelo Encontro com Fátima Bernardes, Sabadão Sertanejo, The Noite, com Danilo Gentili, e outros programas das tevês Cultura e Aparecida.

Fã dos dois grandes ícones caipiras Inezita Barroso e Tião Carreiro, tem a manhã de cuidar ela mesma do visual, sempre camisas de manga comprida, chapéus, bonés, botas e calças jeans. “Eu coleciono bota, chapéu e canivete. São esses três itens que eu gosto mais. Boné eu devo ter uns 70 e botas eu não tenho muitas, só umas 20”, disse ao   em novembro de 2015.

Os próximos passos da carreira já estão bem agendados: no dia 04 de outubro, ela realiza um sonho de infância e grava com seus maiores ídolos vivos, a dupla Chitãozinho & Chororó, no álbum especial Elas em Evidência. A apresentação será no Rio de Janeiro.