Vereadores do médio norte iniciam movimento Pro Ferrovia da Integração

Publicado em 23 de outubro de 2017 às 20h:11

Os vereadores da cidade de Nova Ubiratã iniciaram esta semana um movimento para unir os 16 municípios localizados no eixo de influência da BR 163 e que poderiam ser diretamente beneficiados com a efetivação do projeto da Ferrovia de Integração do Centro Oeste, que ficou conhecida como FICO durante o auge de sua apresentação em 2014. Contudo, o projeto esfriou e outras rotas alternativas para uma ferrovia ligando Mato Grosso aos portos da região norte do país foram apresentadas.

Na última segunda-feira, o grupo de vereadores liderado pelo presidente da Câmara de Nova Ubiratã, Eder Sais Machado, visitou o Poder Legislativo luverdense e participou da sessão ordinária. O presidente teve a oportunidade de falar sobre a proposta de unir forças para chamar a atenção das autoridades para que o projeto saia definitivamente do papel. Sais Machado lembrou que há recursos de R$ 20 bilhões liberados para esse tipo de transporte. “Era uma conquista que estava praticamente certa, mas já fizeram reuniões aqui na 163 e pode ser que a gente perca essa ferrovia, que é um projeto público-privado”, destacou o vereador da cidade vizinha, que propôs uma integração com o legislativo luverdense para fazer visitas aos municípios e expor a preocupação em assegurar que a região seja beneficiada.

Com a união, os municípios teriam mais força junto aos representantes do Congresso Nacional e do Governo Federal. “Vamos abraçar essa causa. São 16 municípios, que venhamos a lutar e conseguir esse benefício”, desafia Sais Machado, propondo uma audiência pública num dos municípios envolvidos para discutir o projeto.

O presidente da Câmara de Lucas do Rio Verde concorda com a união em torno da implantação da ferrovia. Jiloir Pelicioli, o Mano, diz que os 16 municípios têm uma representatividade expressiva e que deve ser levado em consideração pelas autoridades estaduais e federais. “Há recursos disponíveis para essa obra e nós precisamos unir forças entre todos nós num único objetivo, que saia do papel, saia da conversa, até porque no passado já foi feito todo o trabalho elaboratório e de sondagem, que é da parte de solo”, observou Mano, que acompanhou esse levantamento entre os municípios de Gaúcha a Santiago do Norte. “Vamos construir uma agenda a partir de semana que vem, escolher um município dentro da logística pra formatar uma agenda de trabalho, que seja o único objetivo de sensibilizar nossos deputados, senadores e o governo federal, além do ministro Blairo Maggi, e nossas forças políticas do Estado, para que só assim a gente consiga ganhar força pra que a obra aconteça”.