Denunciante critica arquivamento da CPI da Saúde em Lucas do Rio Verde

Acabou em pizza

Stefanello é o autor da denúncia que levou a câmara Municipal a instalar a CPI da Saúde. (Foto: Oliveira Neto)

A denúncia feita pelo ex-presidente do Conselho Municipal de Saúde de Lucas do Rio Verde, Victor Hugo Stefanello, levou a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar possíveis irregularidades na contratação de empresa terceirizada para administrar demandas dos centros de saúde do Município.

A comissão composta pelos vereadores Dr. Jaime Floriano (PDT), Dirceu Cosma (PV) e pela vereadora Cristiane Dias (PT), realizou oitivas e segundo o presidente Vereador Dr. Jaime Floriano, tudo transcorreu dentro da normalidade, depois da conclusão  das oitivas, dois dos tres vereadores componentes da comissão entenderam que não havia nada de irregular no processo e votaram pelo arquivamento da CPI, Dirceu Cosma votou contra.

Stefanello, que não concorda com o arquivamento, falou que resolveu fazer a denúncia com a materialidade de que a OSCIP denominada AGAP, vencedora do certame licitatório, foi contratada com o valor cobrado pelos serviços oferecidos superior ao da tomada de preços anterior realizada pela gestão municipal.

Entendemos que deveria ter sido contratada a empresa que oferecesse uma planilha de preço menor e não foi o que aconteceu. A CPI se apegou muito ao chamado fato determinado. Tá muito claro na denúncia, um texto muito explicativo conta como tudo aconteceu, mas a visão da maioria dos membros da CPI está meio deturpada quanto ao objeto da minha denúncia. Eles ficam alegando, observando coisas além do que é o fato da minha denúncia, para de alguma forma tentar desviar o foco. Fico até sem palavras para falar como procedeu esta Comissão Parlamentar de Inquérito que mais uma vez mostrou que não tem respeito com o dinheiro público, porque buscaram desviar as atenções para, talvez, encobrir esse possível erro deles”, desabafou Victor Hugo.

O denunciante disse ainda que quando procurou a câmara de vereadores para solicitar providências e apurar os fatos por ele alegados, foi com o objetivo de colocar às claras para a sociedade luverdense os erros que realmente tinham ocorridos.

Mas eu já imagina que isso ia acontecer até porque a gente vê as movimentações políticas e no fundo a gente já sabia no que ia dar. Mas isso serviu para que a sociedade seja vigilante quanto ao dinheiro público e não seja omissa nem intimidada por ninguém. Quando existir uma irregularidade a gente possa correr atrás e buscar os órgãos competentes, órgãos fiscalizadores e foi o que fiz. Preferiram não aclarar isso, mas eu sei que vem mais coisas pela frente e cedo ou tarde tudo será esclarecido” finalizou Stefanello.

Fonte: MT Jornal