Em Lucas, Fávero quer disputar eleições contra Binotti para provar revanchismo

O deputado Sílvio Fávero (PSL) se diz disposto a disputar as eleições 2020 em Lucas do Rio Verde (a 332 km de Cuiabá) para colocar a prova nas urnas sua rivalidade com o prefeito Luiz Binotti (PSD), de quem foi vice-prefeito no atual mandato. Desde o começo da gestão em 2017, os dois estão rompidos politicamente e se transformaram em adversários.

Sílvio diz que não tem a intenção de ser candidato a prefeito, por considerar ter um compromisso com os 12.058 eleitores que confiaram seus votos nele nas eleições em 2018, mas se for necessário, sua candidatura se confirmará.

“Eu não tenho um pingo de preocupação com o Binotti, mas gostaria de ser eu e ele na campanha. Hoje tenho o compromisso com o mandato como deputado, mas gostaria de tirar a limpo, bater essa bola eu e ele. Já mostrei isso para ele, como deputado ele não me apoiou e ainda colocou um candidato para me prejudicar. Se precisar, eu serei candidato”, assevera.

O rompimento de Fávero com Binotti ocorreu logo nos primeiros meses de gestão. O deputado relata que enquanto vice-prefeito não se conformou com a forma como estavam sendo distribuído um conjunto de casas populares na cidade. O rompimento então começou com esse desentendimento.

“Eu fui criado com minha avó, porque minha casa tinha dois cômodos, sonho do meu pai era ter uma casa, aí eu ganho uma eleição em Lucas do Rio Verde, 350 casas para seres entregues, eu vejo que está tendo injustiça naquelas entregas. Eu lembrei do meu passado, a questão da dignidade daquelas pessoas, foi aí que começou o atrito. De lá pra cá, varias outras coisas aconteceram em Lucas”, relata Silvio.

Depois de se afastar da gestão mesmo sendo vice-prefeito eleito, Silvio foi exitoso nas eleições e aponta que quer ajudar sua cidade mesmo sem apoio do gestor. “A gestão em Lucas é péssima, a pior de todos os tempos. Falta diálogo, falta tudo. Binotti nunca me chamou para conversar e não faço questão. Eu gostaria de ajudar minha cidade. Esses dias veio o secretário de saúde pedindo para eu ajudar com emenda para comprar um ambulância. Eu vou fazer, mas nunca vai ser com interferência dele. Ele nunca teve humildade de chegar e conversar comigo. Porque ele sabe o que fez”.

Caso não se consolide como candidato, o deputado aponta que é possível o surgimento de algum nome que se filie ao PSL e ganhe viabilidade política na cidade. Sílvio considera que sendo ou candidato, sua presença nas eleições 2020 será incisiva, o que significa que de alguma forma ou de outra, o enfrentamento a Binotti acontecerá.

RDNews