Agentes da PF cumprem busca em residências de Sinop Foto: Idemar Marcatto/ TVCA

A Polícia Federal e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), deflagrou nesta terça-feira (3) uma operação contra fraudes nos sistemas de controle florestal, o Sisflora-MT, Sisflora-PA e o Sistema DOF. A PF afirma que o prejuízo causado por empresários do setor madeireiro e engenheiros florestais foi de mais de R$ 1 bilhão.
De acordo com a PF, são cumpridos mandados de busca e apreensão em 20 endereços em Cuiabá, Itaúba, Nova Monte Verde, Santa Carmem e Sinop.
A operação batizada de Floresta Virtual tem o objetivo de reprimir a atuação de empresários do setor madeireiro e engenheiros florestais que estão fraudando os sistemas.
As investigações identificaram uma série de irregularidades cometidas pelo setor, como o “esquentamento” de produtos florestais extraídos ilegalmente de áreas de preservação permanente, unidades de conservação e terras indígenas.

Operação Floresta Virtual cumpre mandados de busca e apreensão em 22 endereços (Foto: Idemar Marcatto/ TVCA)
A PF identificou que diversas madeireiras fantasmas ou com baixo potencial produtivo foram constituídas pelos investigados em nome de “laranjas”, visando unicamente a geração e movimentação virtual fraudulenta de créditos de produtos florestais, segundo informações da Polícia Federal.
De acordo com a PF, os créditos eram posteriormente transferidos para empresas situadas em regiões com grande potencial madeireiro, visando legalizar produtos florestais extraídos ilegalmente, enganando os órgãos de fiscalização e inserindo os produtos com aparência de legalidade no mercado consumidor.

Os investigados devem responder por diversos crimes contra a flora, furto e receptação de madeira, lavagem de capitais e falsidade ideológica.
Fonte: G1

<< ANTERIORGoverno do Estado suspende salário de 1.481 servidores
PRÓXIMO >>Presidente da Câmara e vereadores viajam a Brasília em busca de utilidade para o prédio da UPA