Representantes da prefeitura reuniram-se, hoje, com a diretoria do bairro Centro, para que ambas as partes pudessem dialogar sobre os desafios da implantação do novo terminal de integração municipal. Os secretários municipais de Planejamento e Cidade, Welligton Souto, e de Segurança e Trânsito, Paulo Nunes, apresentaram os apontamentos e estudos que envolvem a execução do terminal em novo local.

O secretário de Planejamento e Cidade avalia como importante a iniciativa da diretoria, que foi recém-formada, em dialogar e também pela relevância que o bairro Centro representa para a cidade. “Atualmente, temos cerca de 5 mil pessoas que utilizam o transporte urbano diariamente no município. Estamos com muitos estudos em andamento para atender às necessidades dos usuários da maneira mais técnica e viável possível. A reunião foi bastante positiva, conseguimos entender os anseios da população do Centro, e eles, por outro lado, trouxeram sugestões e argumentos para compor nossos estudos”, explanou Souto.

Para o presidente do bairro, Márcio Nischor, o Executivo Municipal fez bem ao convidar a comunidade para ouvir seus anseios e preocupações. “A cidade está se desenvolvendo muito rápido e o tema do terminal precisa ser discutido. E não é uma coisa fácil de se planejar porque estamos numa cidade que cresce muito e ali na região central existe muito comércio, então as coisas têm que fluir. E nossa preocupação, acredito que seja a mesma da prefeitura, é com a segurança, a qualidade e fluxo de veículos. Por isso é importante a comunicação, sem ela tudo fica muito conturbado e nada acontece”, esclareceu.

Conforme Só Notícias já informou, na semana passada, a prefeitura de Lucas anunciou que decidiu mudar o local de implantação do terminal de integração do transporte coletivo. Segundo a justificativa do município, o atual espaço onde a estrutura estava sendo iniciada, na avenida Amazonas, às margens da BR-163, era inviável.

A prefeitura explicou que a construção foi indeferida pela concessionária que administra a rodovia federal por apresentar “risco de segurança viária e invasão à projeção da futura obra de duplicação”. Segundo a secretaria municipal de Segurança e Trânsito, o local onde seria feito o terminal integra a faixa de domínio da rodovia, pertencendo então à União, sob responsabilidade da concessionária.

“A concessionária pode fazer, a qualquer tempo, obras que beneficiem o trânsito na BR-163. E essas obras poderiam incluir o trecho onde o terminal estaria instalado. Nesse caso, seria um grande desperdício de dinheiro público”, apontou, anteriormente, o secretário de Segurança e Trânsito, Paulo Nunes.

Por conta do problema iminente, o município decidiu retirar a base da construção que já havia sido iniciada na Avenida Amazonas. A Secretaria de Infraestrutura e Obras certificou que boa parte dos materiais serão reaproveitados nas futuras instalações, como os pilares metálicos, que têm um custo maior.

Em 2020, a obra de construção do terminal de integração teve início, no canteiro lateral da avenida Amazonas, às margens da rodovia BR-163. Porém, no início deste ano, a concessionária do transporte coletivo procurou o município para entender o projeto e verificou que não seria viável, considerando a manobra necessária dos ônibus. Seria preciso construir uma alça de retorno, facilitando as conversões dos veículos, inviável no local.

“Fizemos a solicitação de alteração no projeto conforme as necessidades avaliadas, porém o pedido foi indeferido pela Rota do Oeste. Além disso, com as obras de duplicação da BR-163, corríamos o risco de ter que retirar o terminal mesmo depois que estivesse tudo pronto. Por isso foi necessário paralisar o contrato com a empresa e reavaliar o projeto”, esclareceu o diretor executivo de Governo, Aluízio Bassani.

O valor total da obra na avenida Amazonas era de R$ 549 mil, entretanto esse valor não chegou a ser gasto, já que a obra não foi concluída. Estudos estão sendo realizados por parte da equipe da Secretaria de Planejamento e Cidade, em parceria com a pasta de Segurança e Trânsito, para que o terminal de integração do transporte coletivo seja realocado.

A prefeitura informou ainda, por meio da assessoria, que as secretarias estão trabalhando nas alterações no trânsito da cidade, como alteração do sentido de ruas, entre outras medidas similares, chamado estudo binário, para dar fluidez ao tráfego e atender as necessidades da população. O local do novo terminal de integração do transporte coletivo ainda será definido.

<< ANTERIORMiguel Vaz garante extensão da Ferronorte até Lucas do Rio Verde
PRÓXIMO >>Presidente Bolsonaro chega a Cuiabá e se reúne com lideranças indígenas